sexta-feira, outubro 09, 2009

A malignidade das Cantigas de Ninar Brasileiras

Então chega a hora de dormir. Sua mamãe te pega no colo e te põe para "ninar" cantando aquela velha cantiga bem conhecida da cultura popular:



"Boi boi boi,




boi da cara preta




pega esse menino que tem medo de careta




Não, não, não




não o bonitinho.




Ele está com medo




por que é pequenininho."



Ela não sabe, mas está imputando na sua frágil mente em desenvolvimento pelo menos três coisas. A primeiro e mais óbvia é um medo por bois. A segunda, mais filosófica, é temor à cor preta... conseqüentemente um suave racismo. E, por fim, um "que" de inferioridade e temor por quem é maior que você.



Será que estou exagerando?



Pois saiba que a maioria das cantigas infantis foram criadas ou adaptadas nos tempos da escravidão no Brasil. Nesta época as crianças costumavam ser cuidadas por babás escravas que pouco podiam fazer para se rebelar. Então, inteligentemente, usavam as músicas como fator psicológico.



A vingança dos escravos seria a fragilidade mental dos futuros escravocratas.



Podem analisar, meus amigos. Praticamente todas as cantigas possuem conteúdos cujo objetivo é colocar medo ou mostrar tragédias.



Vamos analisar mais uma?

cuca1pc3.jpg image by marcelosal

"Nana neném,




Que a Cuca vem pegar!




Papai tá na roça,




Mamãe foi cozinhar"



Mais uma música tétrica que nossas mães propagavam sem pensar no que estavam fazendo. O objetivo básico é: "Dorme logo seu desgraçado, senão um monstro horrendo vem te devorar... E sabe o pior? Você está sozinho, pois seus pais estão longe!!!"



E essa tragédia abaixo?




"O cravo brigou com a rosa,






debaixo de uma sacada,






o cravo saiu ferido






e a rosa despedaçada.






O cravo ficou doente






a rosa foi visitar






o cravo teve um desmaio






a rosa pôs-se a chorar"




Sejam honestos... Isso é coisa que se fale para uma criança recem nascida? Já colocando em sua mente a podridão humana? As brigas de casais? As tragédias do cotidiano que ele só deveria ser exposto no futuro quando pudesse ver o Jornal Nacional?



E essa abaixo?



"Atirei o pau no gato to



Mas o gato to



Não morreu reu reu



Dona Chica ca



Admirou-se se



do berrô do berrô que o gato seu



Miaaaau!"


Uma cantiga que estimula a crueldade com animais. Você atira um pedaço de pau num gato e fica irritado por que ele não morreu. Dona Franscisca, ao invés de repreendê-lo, apenas admira-se do berro que o pobre coitado do gato dá ao ser acertado pela sua covardia! Por que, amigos? Por que nossas mães insistiam em cantar isso? Por que nossos professores nos faziam repetir essa incitação ao "gaticídio"?


Que culpa teria eu se, ao sair da escola, matasse um gato com requintes de crueldade? A responsabilidade não deveria ser da professora que me estimulou ao ato?


Querem mais uma?



"...O anel que tu me deste



era vidro e se quebrou



o amor que tu me tinhas



era pouco e se acabou!"


Uma cantiga que estimula a decepção amorosa e a ganancia feminina. A mulher é revoltada por que seu namorado ou marido a deu um anel sem valor comercial, cuja pedra de vidro quebrou facilmente, associando ao fato do término do relacionamento. Para quê uma criança precisa ser sujeita a esse tipo de dificuldade de relacionamento logo na tenra infãncia? Como vamos acreditar no amor puro entre homem e mulher depois de ouvir isso por toda a vida?


Outra?



" A canoa virou,



por deixar ela virar



foi por causa do Claudinho



que não soube remar



se eu fosse um peixinho



e soubesse nadar



eu tirava Claudinho



do fundo do mar"



Descobriram agora por que o Brasil nunca ganha nada em campeonatos de canoagem? Nós somos desestimulados logo quando crianças a praticar o esporte. Pois se eu entro num troço desses, com certeza a canoa vai virar... E por minha culpa...


Meus colegas ainda são estimulados a me denunciar! Nada de companheirismo! A culpa foi do Claudinho! Esse sacana que não faz nada certo!


E como ninguém na canoa sabe nadar como um peixe, nenhum dos outros integrantes da minha equipe de canoagem vai se arriscar a me salvar, deixando-me afogar no fundo do mar. Para que eu iria tentar um esporte desses? Já acho uma grande vitória que o país se dê bem em natação...


Tem outra música que é a principal responsável por uma situação frequente. Provavelmente deve ter acontecido algo parecido com vocês. Lá está Claudinho brincando na rua. Então ele cai e machuca o joelho. Vai correndo para a mãe procurar ajuda e ela desce o cacete no pobre garoto:


Menino! (porrada) Eu não falei para você ficar em casa? (porrada) Agora está ai, todo estrupiado! (mais porrada)


Sabem por que ela fez isso? Por que foi condicionada com essa cantiga abaixo:



"Sambalelê tá doente



tá com a cabeça quebrada.



Sambalelê precisava



é de uma boa palmada!"



A pobre da Sambalelê se machucou seriamente e a mãe ainda ameaça a garota por ter se acidentado...Pode?


Segue:



"eu sou pobre pobre pobre



de marre marre marre



eu sou pobre pobre pobre



de marré de si



eu sou rica rica rica



de marré marré marré



eu sou rica rica rica



se marré de si"



Boa! Ensinando desde cedo as desigualdades sociais!

Segue:



"Marcha soldado



cabeça de papel



se não marchar direito



vai preso no quartel"


Mais uma ameaça! Anda na linha seu cabeça oca! Senão vai preso!


Agora, para mim, a mais deprimente tanto pelo tom musical fúnebre quanto pela letra era:

Divulgação

"Terezinha de jesus



de uma queda foi ao chão



acudiram três cavaleiros



todos três chapéu na mão



o primeiro foi seu pai



o segundo seu irmão



o terceiro foi aquele



que Tereza deu a mão"


Digam o que quiserem, mas na minha mente inocente eu só imaginava Tereza a beira da morte, toda ensanguentada enquanto três caras tentavam sem sucesso salva-la! E não me perguntem o por que, mas eu tinha certeza que tinha sido um dos três que causou a sua morte! Uma vez me explicaram que Terezinha desmaiou quando o cara pediu sua mão em casamento... Mas por que isso não está explicadinho? A mente de um nenê não compreende o desmaio.



As famosas cantigas de ninar podem ter sido responsáveis pelas características básicas do brasileiro. Um povo que se sente inferior frente a outras civilizações. Somos amedrontados, ameaçados e encaramos tragédias desde o berço. Somos acostumados desde cedo a levar a culpa por coisas que nem fizemos... E ainda aceitamos calados.

Claro, meus amigos. A gente acaba exagerando um pouco nesses temas. Afinal em todas as sociedades modernas existem essas cantigas. E alguns casos até bem piores. As canções inglesas são tenebrosas e muitas delas explicitam pedofilia e trabalho infantil.

De qualquer forma ainda acredito que esses cantiga exerçam alguma influência na nossa mente.

Se é verdade ou não... Que tal evitar esse tipo de maldade com seus filhos? Existem tantas outras músicas legais para se cantar... Saiba escolher a dedo. Pense no que diz a letra antes de cantar no piloto automático. Quem sabe seu filho não se torne uma criança mais auto confiante e se torne um grande líder?

LEIA TAMBÉM

Bicho Papão

Papai Noel

Coelhinho da Páscoa

Saci

Mula sem cabeça

5 comentários:

Ana Carolina disse...

Concordo, e lembro de já ter lido algo a respeito!, como nos EUA que lá costumam "ninar" as crianças cantando o hino nacional e blablabla...

Enfim, quando fui fazer minha tatoo (Um cravo e uma rosa) o tatuador perguntou: "Mas eles estão brigando?" e eu respondi: "Não, pelo contrário, estão unidinhos! -~~"

Sim, eu reconciliei o cravo e a rosa! =P

Ah! Minha mãe cantava uma bonitinha:

"Lá no céu pararam de cantar, os anjinhos já foram se deitar, mamãezinha precisa descansar. Dorme anjinho, papai vai lhe ninar..." Mas ai começa a tenebrosa "boi, boi boi..."

O nome da música é "Acalanto" de Dorival Cayme -~~

diogo disse...

To com pena de sambalelé!!!

Morena Matogrossense disse...

Todas essas citaçoes que vc fez na cantiga tem um nome:MENSAGEM SUBLIMINAR-> que é a definição usada para o tipo de mensagem que não pode ser captada diretamente pelos sentidos humanos. Subliminar é tudo aquilo que está abaixo do limiar, a menor sensação detectável conscientemente.

Claudio Gaspari disse...

Na verdade não é bem subliminar. A mensagem está clara na maioria das cantigas. Não tem nada implícito no "atirei o pau no gato" ou no "Sambalelê precisava levar umas boas palmadas" .

A mensagem está lá para quem quiser ouvir.O problema é que estamos tão acostumados a ouvir essas canções que nem nos questionamos o porque de cantarmos essas barbaridades para as crianças.


De qualquer forma, talvez algumas delas tenha um cunho subliminar realmente, como o "boi da cara preta", se levarmos em conta o sentido do racismo.

Anônimo disse...

Esse post foi genial cara, vou até mostrar pra minha mãe.